8 DICAS PARA COMEÇAR 2021 SEM DÍVIDAS

Sempre que chegamos ao final de um ano, fazemos uma reflexão sobre o caminho percorrido.

Pensamos nas ações que fizemos e em todo caminho que percorremos. Porém, já pensou o que te espera?

Para os dias ainda desconhecidos no ano novo, projetamos todos os nossos melhores sonhos e expectativas de melhoria.

Mas antes de mais nada, vamos a uma retrospectiva de 2020.

É importante recordar… O ano de 2020 foi, sem dúvidas, o mais desafiador das últimas décadas.

Uma pandemia que desestabilizou o mundo, causando, alto índice de desemprego, empresas decretando falência, número alarmante de inadimplentes, produtos essenciais com valores exorbitantes.

O que você fez nesse período?

A piora desse cenário ainda se dá ao lembrar de todas as dívidas que você adquiriu, sejam elas através das compras por impulso ou até mesmo por não saber administrar seus recursos de maneira adequada.

Também acontece muito situações desse tipo: pessoas com a mesma faixa salarial que a sua, prosperando, reformando suas casas, adquirindo novos bens.

Mas, você já se perguntou:

Por que que elas conseguem e você não?
É simples!

Atitudes inteligentes mudam a perspectiva de vida das pessoas.
Independente de qual área for, o sucesso só vem através do esforço.

Por isso, selecionei pra você as melhores atitudes que pessoas bem sucedidas aplicaram em 2020 e chegaram até aqui sem nenhuma dívida.

Ao contrário do que muitos acham, você não precisa ter dinheiro para começar.

Já pode pegar uma agenda, caneta, anotar e aplicar todas as dicas para começar 2021 com postura de vencedor.

10 atitudes inteligentes para iniciar 2021 sem dívidas:

01 – Avalie se houve mudanças de vida

Você conseguiu mudar de casa ou carro? mudou de emprego? investiu em algo?

É importante avaliar essas mudanças na sua vida e da sua família, pois isso vai impactar na diferença do orçamento de um ano para outro.

São ações que, às vezes, não são levadas em consideração e tem grande representatividade.

2 – Anote todos os gastos de 2020

Calma! Não precisa se desesperar porque não lembra mais o preço daquela bala que comprou na saída do cinema a meses atrás.

Se você era daqueles organizados, já terá todas essas informações em mãos. Se não for, tente se recordar dos gastos mensais baseado nas suas despesas fixas ou compras efetuadas e tenha a nota fiscal do produto.

O que precisa ter em mente é:

Não posso cometer os excessos do último ano;
preciso aprender a planejar os meus gastos para os próximos 12 meses.
Agindo assim dificilmente passará aperto no futuro.

3 – Reduza gastos que não forem necessários

Você assina TV a cabo, mas passa o dia todo fora de casa. Paga academia mensalmente, mas só aparece lá 1 vez por mês. Tem dois tipos de internet banda larga em sua residência. Compra roupas novas, mas o guarda roupa ainda está cheio de roupas com etiqueta.

Se você se identificou com alguma das situações acima, sugerimos que reveja suas contas e avalie a possibilidade de eliminar gastos com coisas que se cortadas não farão diferença no seu dia a dia. Ainda vai sobrar uma grana a mais.

Caso tenha achado normal os cenários descritos acima, leia nosso artigo sobre a oniomania.

4 – Negociar as dívidas antigas

O ditado popular diz claramente:

Não deixe para fazer amanhã o que pode fazer hoje!

Geralmente ficamos protelando a resolução de problemas simplesmente porque não sabemos como resolvê-los. Então empurramos com a barriga até onde dá pra empurrar.

Se você tem dívidas muito antigas, respire fundo e inicie uma negociação para pagar essa dívida.

Se for dívidas bancárias, converse com seu gerente ou operadora do cartão de crédito. Se for com um vizinho, amigo ou parente, conversem amigavelmente e pague de pouco em pouco o que deve.

Uma hora sua dívida será honrada. Só não deixe para depois.

5 – Diminua o uso de cartão de crédito e cheque especial

Como já falamos aqui no blog, o cheque especial e o cartão de crédito não são a extensão do seu salário.

São produtos bancários que geram muitos benefícios caso sejam utilizados da maneira correta.

No momento das anotações dos gastos referentes a 2020 você notou que usou excessivamente o cheque especial e ficou dependente do cartão de crédito, cabe uma reavaliação do seu consumo e estilo de vida a fim de diminuir o uso.

6 – Não relaxar o bolso nas férias

Se está gozando das suas merecidas férias, aproveite os dias.

Mas, tenha cuidado com as ofertas. Faça pesquisa de preço para aluguel de imóveis de temporada, alimentação em restaurantes mais baratos, não se empolgue com o rapaz do picolé.

Não se esqueça que a vida continua depois das férias.

7 – Se preparar para ipva, iptu, matrícula, material escolar

Para quem tem carro ou imóvel, encargos como IPTU e IPVA já fazem parte do orçamento anual. Mas, nem todo mundo se programa antecipadamente.

O pagamentos à vista desses dois impostos garante desconto. Avalie suas condições e veja qual a melhor opção para quitá-los.

Quando for comprar os materiais escolares dos seus filhos, considere não levá-los. Além de não conseguir conter os apelos dos pequenos, atrapalhará uma possível pesquisa de preço.

8 – Caso sobre dinheiro, saber o que fazer com ele

Não é porque sobrou dinheiro que você está em condições de sair gastando desenfreadamente.

O ideal é que pegue esse dinheiro que sobrou e guarde em um fundo de investimento ou aplicações financeiras.

Tem os mais conservadores que guardam dinheiro na poupança. Só que muito já foi dito em relação a essa permanência e como não vale mais a pena esse tipo de investimento.

Nesse momento, o importante é guardar o dinheiro e não gastar. Deixe para gastar em uma ocasião mais confortável.

Conclusão

São 365 dias para moldar seu novo estilo de vida.

Não é fácil, nem rápido.

Abandone as velhas atitudes e pense em todas àquelas pessoas que têm a mesma faixa salarial que a sua, conseguiram prosperar e vão iniciar 2021 sem dívidas.

Espero ter ajudado você! Compartilha sua experiência conosco.

Últimas postagens

Maneiras de economizar (mais ainda) nas compras do supermercado:

Leia o artigo

RH e vida financeira do colaborador, qual a relação?

Leia o artigo

Saiba o que é Cashback, como funciona e onde ganhar!

Leia o artigo

Economia Colaborativa: entenda os benefícios.

Leia o artigo

Gastos invisíveis: o que são e como se livrar deles

Leia o artigo

Afinal, comprar ou alugar um imóvel? O que vale mais a pena nos tempos de hoje?

Leia o artigo